April 2, 2015

In my darkest dreams II

Meu doce amor, como poderia esquecer
De sua voz tão suave ressonando ao vento
Afastando-me das trevas e do desalento,
Tal como o sol anunciando um novo amanhecer?

Em ti, tal acalento pude encontrar,
Assim despertando de meus sonhos mais obscuros,
E afastando meus pesares taciturnos e escuros,
Os quais estavam minh'alma a desolar.

Tal como sonhos que se esvaem ao alvorecer da aurora,
Assim se desvaneceram minhas sombras de outrora;
Hei de os mistérios do Amor desvendar,

Isto que une nossos espíritos em plenitude,
Um sentimento tão belo, a mais tenra humana virtude
Que para uma verdadeira vida, faz-nos despertar.

by Vane

Imagem de flowers, dark, and grunge

 Esse poema é uma releitura do primeiro poema que publiquei aqui (em 2012), que leva o mesmo nome de meu blog, 'In my darkest dreams'.
 Bom feriado a todos! Abraços..   




16 comments:

  1. Muito bonito e terno, me remete aos sentimentos que o primeiro amor cheio de inocência nos traz :)
    A música eu não conhecia mas achei bem interessante
    Um abraço o/

    ReplyDelete
    Replies
    1. Fico feliz que tenha gostado, Carolina :)

      Bom fds! Um abraço..

      Delete
  2. Vane, que poema doce, terno, afável, amável... De uma ternura, de uma candura sem limites. Um encanto!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Obrigado pelo gentil comentário, Fábio.

      Um grande abraço..

      Delete
  3. Amo releituras, ainda mais quando feitas pelo próprio autor. Preferi a parte 2, deu pra ver como vc evoluiu na escrita, mas nada q vc escreve é ruim, Vane. <3

    ReplyDelete
    Replies
    1. Obrigada pelo comentário, Mari :)
      Digo o mesmo dos seus escritos.. amo tudo o que vc escreve!

      Bom fds :) Um abraço

      Delete
  4. Excelentes tus letras, gracias por llegar hasta mi espacio.
    Me quedo para seguirte,abrazos!

    Bajo la Lupa

    ReplyDelete
    Replies
    1. Olá, fico muitíssimo agradecida por sua visita. :)
      Seja bem-vinda!

      Um abraço

      Delete
  5. Boa noite Vane.
    Muito lindo compor, sensível, intenso, adorei, parabéns!
    Deixo um carinho, abraço, lu.

    ReplyDelete
    Replies
    1. Obrigada pelo comentário, Lucy! Fico feliz que o poema tenha lhe agradado.

      Um grande abraço

      Delete
  6. Cacete, Vane!!!
    Você arrebenta, é verdade.

    Achei profundo e ao mesmo tempo sensível, além de ter sido uma puta releitura, hem?!
    Parabéns, seus dois poemas são magníficos.

    ReplyDelete
    Replies
    1. Obrigada pelo agradável comentário, Carol :)

      Bom fds! Um grande abraço..

      Delete
  7. Que este fin de semana resulte espléndido para ti, te dejo una frase y fuerte abrazo:
    La amistad es un alma que habita en dos cuerpos; un corazón que habita en dos almas.

    Aristóteles

    http://bajolalupadegiglio.blogspot.com/

    ReplyDelete
    Replies
    1. Lhe desejo o mesmo :)

      Esta citação é magnífica!

      Um grande abraço

      Delete
  8. Boa noite Vanessa..
    como me deleito ao ler poesias assim..
    vestidas por rimas, não consigo abandonar este meu vicio rsrs
    fica lindo de se ler.. as rimas dão vida a qualquer coisa que vamos expressar em versos..
    faz um tempinho pelo que li.. mas que muitos assim possam surgir ainda..
    uma linda noite a vc.. abraços meus e até sempre poetisa

    ReplyDelete
    Replies
    1. Boa noite, poeta!
      Obrigada pelo comentário, sua presença é sempre agradável por aqui :)

      Um grande abraço

      Delete