January 24, 2013

Eu - Florbela Espanca

Eu

Eu sou a que no mundo anda perdida, 
Eu sou a que na vida não tem norte, 
Sou a irmã do Sonho, e desta sorte 
Sou a crucificada ... a dolorida ... 

Sombra de névoa ténue e esvaecida, 
E que o destino amargo, triste e forte, 
Impele brutalmente para a morte! 
Alma de luto sempre incompreendida! ... 

Sou aquela que passa e ninguém vê ... 
Sou a que chamam triste sem o ser ... 
Sou a que chora sem saber porquê ... 

Sou talvez a visão que Alguém sonhou, 
Alguém que veio ao mundo pra me ver 
E que nunca na vida me encontrou!

Florbela Espanca

Imagem de mirror and black and white






16 comments:

  1. Belo texto!
    bjs e bom final de semana!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Obrigada pela visita e comentário :)
      Bom fim de semana para vc também! Bjs

      Delete
  2. Olá Vane!

    Uma bela descrição do Estar-no-mundo. Um tanto sombria e fugaz o sentido da existência, contudo, há neste não-ser da existência uma "vontade de representação" (Schopenhauer-1788-1860), uma força latente uma "vontade de potência" (Nietzsche-1844-1900).

    "Nascidos que somos para uma existência subterrânea, porém combativa..." (Nietzsche-1844-1900).

    Note a pulsão: e isto é o maravilhoso que AQUELE-QUE-É pôde conceber. Será que seremos apenas nós? Será que apenas aqui toda esta "VONTADE" toda esta "POTÊNCIA" pôde se realizar?... Isto me intriga!... Não tenho todas as respostas, aliás, não tenho nenhuma resposta, mas posso fazer todas as perguntas...

    Abraço.

    ReplyDelete
    Replies
    1. Olá Joandre!

      Interessantes esses questionamentos sobre o sentido da existência! De fato, intrigantes; porém as respostas são mesmo difíceis de encontrar, tendo em vista o fato de que em quase nada há uma verdade absoluta..

      Obrigada pelo comentário! ^^"
      Tenha uma ótima tarde.
      Um grande abraço..

      Delete
  3. Florbela Espanca minha poetisa/escritora favorita! *--*
    Amo esse poema!
    Beijos!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Olá Aline!

      Também admiro muito os escritos de Florbela Espanca..^^"
      Obrigada pela visita e comentário.

      Até breve! Bjs

      Delete
  4. Lindo poema de fato me descreve por inteiro. Parabéns... um abraço alma linda.

    ReplyDelete
    Replies
    1. Eu também me identifico com o poema..
      Florbela Espanca é uma de minhas poetisas favoritas ^^"
      Obrigada pela visita Elodia, um grande abraço.

      Delete
  5. Tienes buenos articulos, Felicitaciones por tu Blog, Visita tambien el mio, comenta, suscribete y sigueme, que yo tambien hare lo mismo.

    ReplyDelete
    Replies
    1. Olá! Obrigada pela visita
      Já estou seguindo seu blog.. ^^
      Um abraço.

      Delete
  6. Replies
    1. Obrigada :)
      Tenha uma ótima semana!
      Bjs

      Delete
  7. Oi Vane...
    Esse é sem dúvida o poema que me descreve!
    Gosto muito dele e também de Florbela..

    Blog muito lindo o seu!
    Estou seguindo...

    Beijo

    ReplyDelete
    Replies
    1. Olá!
      Obrigada pela visita!
      Seguindo seu blog também.. Bjs

      Delete
  8. Boa noite poetisa querida.. mas capaz que não i encontrar ela aqui né.. sabia que logo acharia.. e como de costume, muito li e mito aprendi a fazer sonetos com ela tb.. sonetista perfeita.. quase tudo em decassílabo.. deixo aqui o soneto a ela..

    FLORBELA ESPANCA

    Como admiro, poetisa portuguesa...
    Os teus escritos sempre carregados
    De solidão, saudade e uma tristeza
    A velar sentimentos fatigados;

    Os teus sonetos vestem-se em beleza;
    Falas da morte, dos medos velados...
    Do amor que nos seduz com a frieza
    De sempre vinda de tempos passados;

    Como é profundo o teu livro de mágoas...
    Derramou todas elas sobre as águas
    Correntes dos teus olhos já tristinhos;

    Podaste com palavras os espinhos
    Mais cortantes, nas noites onde a branca
    Estrela lampejou Florbela Espanca;

    24-06-13 Soneto a poetisa Florbela Espanca

    uma ótima escolha.. os sonetos dela são belos demais.. abraços Vanessa

    ReplyDelete
    Replies
    1. Olá poeta,
      Que esplêndido soneto!! Formidável!
      Uma linda homenagem a Florbela..

      Um grande abraço

      Delete